E agora, professor? Do presencial ao remoto: desafios para viabilizar o ensino de pesquisa operacional para a geração Z

Autores

DOI:

https://doi.org/10.54372/pc.2022.v17.3333

Palavras-chave:

Ensino-Aprendizagem, Pesquisa Operacional, Geração Z

Resumo

O objetivo desta pesquisa é apresentar duas abordagens para o ensino remoto de Pesquisa Operacional e avaliar seus impactos em dois aspectos: a percepção dos discentes em relação à facilidade de aprendizagem e as notas efetivamente alcançadas com cada um dos métodos de ensino utilizados. O trabalho é um estudo de caso que combina métodos quantitativos e qualitativos. Foram coletados dados primários por meio de questionário com perguntas fechadas e, ao final de cada uma das aulas os alunos também responderam questões abertas relacionadas ao assunto apresentado. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva e análise de conteúdo. Ao final da primeira atividade, 10 dos 24 alunos postaram as respostas solicitadas. Na segunda aula, o número subiu para 23. A média das notas dos alunos com a primeira abordagem foi de 20%, valor que subiu para 50% com a segunda. As duas abordagens apresentadas mostraram-se viáveis para serem utilizadas remotamente. O grau de participação, percepção em relação ao aprendizado e o desempenho em si foram superiores na segunda aula. Em relação ao interesse e curiosidade dos alunos pelo assunto, não houve diferenças substanciais, considerando a primeira e a segunda aula. Foi possível perceber que quanto mais a abordagem se aproxima da realidade, maior foi a facilidade dos alunos e melhor foi o desempenho deles na tomada de decisão. Reflexões acerca de metodologias de ensino utilizadas ao longo do tempo nunca cessam e tendem a contribuir para o aprimoramento do processo de ensino-aprendizagem em todos os níveis da educação.

Biografia do Autor

Valeriana Cunha, UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

Graduada em Administração de Empresas pela Universidade Federal de Uberlândia (1997), especialização em Finanças e Planejamento Empresariais pela Universidade Federal de Uberlândia (1998), mestrado em Economia Aplicada pela Universidade de São Paulo (2001) e doutorado em Administração de Empresas pela Universidade de São Paulo (2006). É Professora Associada da Universidade Federal de Uberlândia, com atuação nas áreas de Métodos Quantitativos, Pesquisa Operacional, Logística e Gerenciamento de Cadeia de Suprimentos. E-mail: valeriana@ufu.br

José Vicente Caixeta Filho, UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

Graduado em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (1984), Mestrado em Economics - University of New England (Austrália, 1989), Doutorado em Engenharia de Transportes pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (1993), Pós-Doutoramento na Christian-Albrechts Universität zu Kiel (Alemanha, 1994) e na University of Illinois, em Urbana-Champaign (Estados Unidos, 2017). Atualmente é Professor Titular junto ao Departamento de Economia, Administração e Sociologia da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (ESALQ) da Universidade de São Paulo e Coordenador do Grupo de Pesquisa e Extensão em Logística Agroindustrial (ESALQ-LOG). Foi Diretor da ESALQ no período compreendido entre 2011 e 2014. Sua área de atuação em termos de ensino, pesquisa e extensão é voltada para temas e instrumentais analíticos relacionados à Logística Agroindustrial, com destaque para os trabalhos focados nos seguintes temas: transporte, armazenamento, pesquisa operacional (programação linear e inteira, particularmente). Recebeu em 2016 o 61º Prêmio Fundação Bunge - Vida e Obra, Categoria Infraestrutura de Transporte. E-mail: jose.caixeta@usp.br

Downloads

Publicado

2022-04-14

Como Citar

Cunha, V., & Caixeta Filho, J. V. (2022). E agora, professor? Do presencial ao remoto: desafios para viabilizar o ensino de pesquisa operacional para a geração Z. Perspectivas Contemporâneas, 17(1), 1–16. https://doi.org/10.54372/pc.2022.v17.3333

Edição

Seção

Artigos Completos