EVIDÊNCIAS SOBRE A EFICÁCIA E SEGURANÇA NO TRATAMENTO MEDICAMENTOSO NO TRANSTORNO DE DÉFICIT DA ATENÇÃO COM HIPERATIVIDADE EM ADULTOS

Danielly Chierrito de Oliveira, Patricia Guerrero de Sousa, Andréia Cristina Conegero Sanches

Resumo


O Transtorno de Déficit da Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um distúrbio neurológico que afeta crianças e adolescentes no mundo, com impacto no desenvolvimento do indivíduo. A persistência do TDAH na idade adulta está associada a vasta gama de resultados e níveis de comprometimento, com prejuízo funcional significativo na rotina desses pacientes. Além dos sintomas de desatenção, que afeta o desempenho acadêmico e profissional, influencia também as funções executivas e sociais. Este estudo de revisão bibliográfica tem por objetivo reunir as principais evidências e discussões acerca dos medicamentos utilizados para o tratamento deste transtorno em adultos, de modo a promover uma discussão crítica sobre o assunto. Estudos têm sido realizados nesse contexto e evidenciaram dados sobre redução dos sintomas, mensurados por escalas de eficácia e segurança, as quais são baseadas no relato do paciente ou aferidas pelo pesquisador. A maioria dos ensaios clínicos compararam diferentes fármacos a placebo, sendo escassas as comparações entre fármacos. Muitos estudos envolveram amostras pequenas e foram patrocinados pela indústria farmacêutica. Na análise conjunta das evidências, considera-se como primeira linha de tratamento os psicoestimulantes, com destaque para o metilfenidato, seguido da atomoxetina, um agente noradrenérgico. Foram encontradas evidências de outras opções, como antidepressivos, anti-histamínicos, agonista alfa-2, modafinil, metadoxina e mecamilamina. A escolha da melhor opção, contudo, deve ser pautada também na relação risco/benefício e perfil de cada paciente. Assim, verifica-se a necessidade de novos estudos clínicos de avaliação da eficácia e segurança no tratamento medicamentoso do TDAH, sobretudo envolvendo comparação entre fármacos, de modo a direcionar as decisões clínicas neste contexto.

EVIDENCES ON THE EFFECTIVENESS AND SAFETY OF DRUG TREATMENT OF ATTENTION DEFICIT HYPERACTIVITY DISORDER IN ADULTS

Attention deficit hyperactivity disorder (ADHD) is a neurological disorder which affects children and adolescents around the world, with impact on individual development. The ADHD persistency in adult age is associated with a wide range of results and levels of commitment, with significant functional loss in the routine of patients. Besides the inattentive symptom, which affects academic and professional performance, it also affects executive and social functions. This review aims to gather the main evidences and discussions on the main medicines used to treat this disorder in adults, in an attempt to promote a critical discussion about this issue. Studies have been realized in this context and showed data on the reduction of symptoms, measured by efficacy and safety scales, which are based on patients report or measured by the researcher. Most clinical trials compare different medicines to placebo, with comparisons between drugs being scarce. Many studies involve small samples and were sponsored by the pharmaceutical industry. By analyzing the evidence in group, the psychostimulants, highlighting methylphenidate, are considered the first line of treatment, followed by atomoxetine, a noradrenergic agent. Evidence on other options as antidepressants, antihistamines, alpha-2 agonist, modafinil, methadone and mecamylamine was also found. The choice of the best option, however, should also be based on the relation between risk and benefit and the profile of each patient. Thus, there is need of new clinical studies evaluating the efficacy and safety of the drug treatment of ADHD, especially involving comparison of drugs, in order to guide clinical decisions.

 


Palavras-chave


TDAH; terapêutica; estudos clínicos; eventos adversos.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


   

 

 

 

Licença Creative Commons
SaBios-Revista de Saúde e Biologia está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.